Sobre nós

Levar desenvolvimento e qualidade de vida para as famílias sem comprometer o planeta. É assim que todos devemos nos comportar através da educação ambiental ao desenvolvimento de novas tecnologias produtivas, tendo o meio ambiente como prioridade. O aproveitamento das fontes renováveis de energia e soluções de eficiência energética ganham destaque nas iniciativas das empresas. Onde permitem elevar a qualidade de vida de famílias e incrementar atividades econômicas, no entanto, sem agredir a natureza. Projetos assim evitam a adoção de medidas com alto impacto ambiental. saiba mais »
Loja Redmax

Redes Sociais

RSS Feed Twitter Facebook Delicious

Cadastre seu e-mail

Vamos preservar! Salvem as geleiras!

Postado por Defensor da Natureza em 25 de outubro de 2013 recebeu: 0 Comentários »

Olá Defensores, hoje vamos tratar de um assunto muito importante, as geleiras, elas são essenciais no ciclo de vida do nosso planeta e sem elas algo muito ruim poderá acontecer com a Terra.

As geleiras, também denominadas glaciares, são formadas pelo acúmulo de neve em um determinado local, processo que pode levar até 30 mil anos para se concretizar. A neve é cristalizada e compactada em camadas, formando uma extensa massa de gelo. Esse fenômeno é mais comum nas regiões de alta latitude (nos polos terrestres) e nas cordilheiras.

 Para que uma geleira seja formada é necessário que o acúmulo de neve seja superior ao processo de degelo, sendo assim, as áreas que registram baixas temperaturas são mais propícias para o surgimento e manutenção das geleiras. Por esse aspecto, as principais geleiras da Terra estão situadas nos polos, locais onde a temperatura fica negativa a maior parte do ano.

A Antártica, com cerca de 14 milhões de quilômetros quadrados, é a maior geleira terrestre. Essa região abriga aproximadamente 90% do gelo do planeta. Outras geleiras de grande destaque são a Groelândia, Ártico, Patagônia, entre tantas outras espalhadas pelas diversas cordilheiras do mundo.

Essas geleiras são de suma importância para a manutenção da vida na Terra, visto que elas concentram quase 70% da água doce. O degelo, além de reduzir a quantidade de água doce, desencadeia uma série de problemas socioambientais: aumento do nível e alteração da temperatura das águas dos oceanos, redução da biodiversidade, inundações de alguns lugares, etc.

As geleiras estão sumindo

O Ártico bateu recorde de encolhimento do mar congelado. Mas ele não afeta diretamente o nível do mar. Nesse quesito, o que interessa mesmo são as geleiras de terra firme da Groenlândia e da Antártica.

Segundo o estudo, entre 1992 e 2011 as geleiras da Groenlândia perderam, em média, 152 bilhões de toneladas de gelo por ano. O calor não foi tão rigoroso no outro polo, mas ainda assim as geleiras da Antártica derreteram 71 bilhões de toneladas de gelo. O resultado é que as geleiras contribuíram com o aumento de 11,1 milímetros no nível do mar desde 1992.

Além disso, a taxa de derretimento das geleiras foi acelerada nos últimos anos. Juntas, as geleiras dos polos Norte e Sul estão perdendo três vezes mais gelo hoje do que na década de 1990. A situação é pior na Groenlândia: este ano, satélites detectaram que 97% da superfície da Groenlândia passou por algum derretimento.

O derretimento dessas geleiras gera transtornos ambientais e sociais. Esse fenômeno altera a temperatura dos oceanos, causando um desequilíbrio ambiental e atingindo principalmente as espécies marinhas. A elevação do nível dos oceanos obriga que a população residente em áreas costeiras migre para outras localidades – estima-se que pelo menos 200 milhões de pessoas sejam afetados pelo aumento do nível dos oceanos.

Outras consequências do aquecimento global são a desertificação, alteração do regime das chuvas, intensificação das secas em determinados locais, escassez de água, abundância de chuvas em algumas localidades, tempestades, furacões, inundações, alterações de ecossistemas, redução da biodiversidade, perda de áreas férteis para a agricultura, além da disseminação de doenças como a malária, esquistossomose e febre amarela.

Portanto, o aquecimento global tem consequências extremamente negativas para a vida de todas as espécies do planeta. Sendo assim, são necessárias medidas para amenizar o processo de alteração climática, como, por exemplo, a redução da emissão de gases responsáveis pela intensificação do efeito estufa, garantindo, assim, uma relação harmoniosa entre homem e natureza.

Diante da importância das geleiras para a vida na Terra, a busca por mudanças comportamentais são urgentes, em especial no modo de produção e consumo das sociedades capitalistas, de forma a reduzir a emissão de gases que intensificam o efeito estufa e, consequentemente, minimizar o processo de aquecimento global.

 

 

Postado em: Aquecimento Global, Natureza



Resposta