Sobre nós

Levar desenvolvimento e qualidade de vida para as famílias sem comprometer o planeta. É assim que todos devemos nos comportar através da educação ambiental ao desenvolvimento de novas tecnologias produtivas, tendo o meio ambiente como prioridade. O aproveitamento das fontes renováveis de energia e soluções de eficiência energética ganham destaque nas iniciativas das empresas. Onde permitem elevar a qualidade de vida de famílias e incrementar atividades econômicas, no entanto, sem agredir a natureza. Projetos assim evitam a adoção de medidas com alto impacto ambiental. saiba mais »
Loja Redmax

Redes Sociais

RSS Feed Twitter Facebook Delicious

Cadastre seu e-mail

Tigres, eles não são todos iguais!

Postado por Defensor da Natureza em 2 de julho de 2013 recebeu: 0 Comentários »

Que tal sabermos mais sobre um animal que mesmo não sendo de origem brasileira, todos conhecem, mas será que o conhecemos tão bem? São os tigres, e eles podem ser até parecidos, entretanto não são iguais, confira logo abaixo os motivos.

O tigre (Panthera tigris) é um mamífero da família dos felídeos. É um dos quatro “grandes gatos” do gênero Panthera. Os tigres são predadores carnívoros.

 

Um macho adulto pesa, em média, trezentos quilogramas, tem 1,10 metros de altura na cernelha e 3,50 metros de comprimento (incluindo a cauda). São caçadores noturnos e, apesar de seu grande tamanho, podem se aproximar de suas presas em completo silêncio, antes de se precipitar sobre elas a curta distância. Entre os carnívoros terrestres, eles têm os maiores dentes, que podem chegar a dez centímetros e as maiores garras, atingindo os oito centímetros. A força da sua mordida é uma das mais fortes entre todos os felinos. É um grande nadador, apreciando a água como meio de se refrescar. Já foram vistos tigres que nadaram mais de cinco quilômetros. Além disso, são ágeis e velozes, capazes de andar em terrenos rochosos e de subir em árvores com troncos grossos (apesar não subirem com frequência, já que não costumam ter motivos para isso). São caracterizados por suas listras: cada indivíduo possui um padrão, não existindo dois tigres com o mesmo padrão. São como as digitais dos seres humanos.

São animais que habitavam antigamente, quase todo o continente asiático. Muitos deles ocupavam o gelo da Ásia, outros viviam nas cordilheiras da Ásia Central e muitos ainda habitavam as densas florestas do sul. Vivendo em lugares diferentes, desenvolveram-se várias subespécies, apresentando características distintas. Tanto foram os tigres perseguidos pelos homens, que três subespécies já foram exterminadas. As nove espécies são:

Tigre-siberiano (Panthera tigris altaica): este é o maior de todos os tigres. Encontra-se em vales com encostas rochosas do rio Amur, sendo que nos dias de hoje, está confinado a uma pequena região no leste da Rússia. Abrigado por uma espessa camada de pelagem, ele enfrenta o clima gelado daquela região. A cor clara de seu pelo o confunde com a neve e permite que ele se aproxime da presa sem ser notado. Sua dieta é basicamente composta de suínos selvagens, mas após diminuir o número de exemplares dessa presa, essa subespécie de tigre passou a caçar veados também. Podem também caçar outros animais, como ursos pardos, aves, peixes e répteis.

Tigre-do-sul-da-china (Panthera tigris amoyensis): este é um dos mais ameaçados de extinção, existindo poucos exemplares ainda. Até o começo de 1960, havia aproximadamente 4000 tigres na China. No ano de 1959 Mao Tse Tung, acusou os tigres de serem uma praga, iniciando-se a partir daí uma terrível perseguição à eles. Atualmente, há apenas 59 exemplares em cativeiro, sendo que descendem apenas de 6 exemplares.

Tigre-da-indochina (Panthera tigris corbetti): esta subespécie é encontrada no Camboja, Laos, sudeste da China,Malásia, Myanmar, Tailândia e Vietnã.

Tigre-de-sumatra (Panthera tigris sumatrae): oriundo de ilhas cobertas por densas florestas tropicais, no sul da Ásia. Possuem um porte menor do que o comum, favorecendo assim, correr e se esconder com maior facilidade. Sua população é estimada em 400 a 500 exemplares, presentes predominantemente nos cinco parques nacionais na ilha indonésia de Sumatra.

Tigre-de-bengala (Panthera tigris tigris): esta subespécie é encontrada nas florestas e savanas de Bangladesh, Butão,Nepal, Índia, Myanmar. Atualmente, é a espécie mais comum, com uma população selvagem estimada em 3000 a 4600 indivíduos, sendo que a maioria encontra-se na Índia e Bangladesh.

Tigre-malaio (Panthera tigris jacksoni): encontrado exclusivamente no sul da península malaia e, até 2004 não era considerada uma subespécie de tigre, sendo antes considerado parte da subespécie indochinesa. Sua classificação mudou devido à um estudo genômico. Sua população é estimada em 600 a 800 exemplares.

Tigre-de-bali (Panthera tigris balica): esta subespécie é extinta e sua ocorrência limitava-se à ilha de Bali, na Indonésia. Há relatos de que o último exemplar desse tigre foi morto em Sumbar Kima, no dia 27 de setembro de 1937.

Tigre-de-java (Panthera tigris sondaica): esta subespécie era encontrada na ilha indonésia de Java. Foi extinta na década de 1980, devido à caça e destruição de seu habitat.

Tigre-do-cáspio (Panthera tigris virgata): tornou-se extinto na década de 1960, sendo seu último exemplar visto no ano de 1968. Era encontrado no Afeganistão, Irã, Iraque, Mongólia, União Soviética e Turquia. No século XX foi perseguido pelo governo da Rússia czarista devido à um programa de colonização da área.

O que vocês acharam do nosso post sobre os tigres? E quais outros animais gostariam de ver aqui no nosso blog? Nos passe através dos comentários, e com certeza iremos atender a todos os pedidos.

 

 

 

Postado em: Animais Silvestres, Mamíferos



Resposta