Sobre nós

Levar desenvolvimento e qualidade de vida para as famílias sem comprometer o planeta. É assim que todos devemos nos comportar através da educação ambiental ao desenvolvimento de novas tecnologias produtivas, tendo o meio ambiente como prioridade. O aproveitamento das fontes renováveis de energia e soluções de eficiência energética ganham destaque nas iniciativas das empresas. Onde permitem elevar a qualidade de vida de famílias e incrementar atividades econômicas, no entanto, sem agredir a natureza. Projetos assim evitam a adoção de medidas com alto impacto ambiental. saiba mais »
Loja Redmax

Redes Sociais

RSS Feed Twitter Facebook Delicious

Cadastre seu e-mail

Salvem as florestas tropicais!

Postado por Defensor da Natureza em 8 de novembro de 2013 recebeu: 0 Comentários »

As florestas tropicais são um verdadeiro tesoura da natureza. A sua densa vegetação serve de abrigo a mais da metade dos animais e plantas do mundo. Elas são vitais para a saúde do nosso planeta, para evitar a erosão do solo e para conservar o ar limpo por meio da reciclagem dos gases provocados pelo efeito estufa.


Durante o século passado, uma grande parte da floresta tropical foi destruída e, tragicamente, esse patrimônio continua desaparecendo, a uma velocidade de 2 mil árvores por minuto. O tempo não para.

As florestas tropicais concentram-se em uma cintura dos trópicos de 22° a Norte e a Sul do Equador, onde o calor e as chuvas são constantes. Situam –se na Austrália, Ásia, África Madagascar, América Central e América do Sul e nas Ilhas do Caribe, cobrindo 2% da superfície terrestre do mundo.

Características das Florestas Tropicais

- Biodiversidade riquíssima com grande quantidade de espécies vegetais e animais. Muitas destas espécies são ainda desconhecidas do ser humano;

- Solo com cobertura de húmus (de 30 a 50 cm), proveniente da decomposição de folhas, frutos, fezes e cadáveres de animais mortos;

- Grande presença de sombra, pois as árvores encontram-se muito próximas umas das outras. Estas árvores possuem, em média, de 30 a 50 metros de altura;

- Umidade elevada em função do alto índice pluviométrico (média de 1300 mm de chuvas por ano);

- Calor quase o ano todo, com temperaturas médias anuais de 20° C.

Quando a floresta desaparece, com as raízes das árvores que lhe servem de âncora, o solo torna-se instável e pode entrar facilmente em com água das chuvas. O clima também é afetado. As plantas verdes absorvem o dióxido de carbono e libertam oxigênio, mas, sem esse ar condicionado natural, o dióxido de carbono subsiste, contribuindo para o chamado aquecimento global. É também uma catástrofe para os seus habitantes: 90 tribos amazônicas desapareceram nos últimos 100 anos, e plantas e espécies de animais foram extintas.

Durante séculos, os agricultores utilizaram métodos de devastação e queimadas para adaptar o terreno ao cultivo, deslocando-se para outras áreas assim que os recursos do solo se esgotam. Em pequena escala, esses métodos têm um impacto pouco significativo, uma vez que a floresta consegue regenerar-se, mas devido ao aumento das populações e à intensificação do comércio internacional, as florestas estão agora sendo devastadas ou adaptadas para a agricultura em grande escala. A destruição também aumentou fortemente em razão do abate de árvores, da construção de estradas, barragens, oleodutos e gasodutos e da atividade mineira.

Uma melhor gestão das florestas

O reconhecimento por satélite permitiu identificar florestas como alvo de conservação em 15 países. Existe a necessidade de uma melhor gestão das florestas com o envolvimento das populações locais.
A World Conservation Union pôs em curso um programa com o objetivo de equilibrar a conservação das florestas e as necessidades das pessoas, por meio do melhor aproveitamento das áreas já existentes destinadas à agricultura ou reutilização das abandonas. Algumas das áreas desflorestadas poderão ser aproveitadas para pousio com vista à sua recuperação a longo prazo. Outros elementos- chave são o controle do desperdício de madeiras e a criação de plantações de árvores de substituição.

Para evitar a destruição das Florestas Tropicais você pode:

  • Comprar artigos de madeira de fontes sustentáveis;
  • Usar papel reciclado e evitar desperdícios;
  • Procurar os websites de projetos de conservação e prestar-lhes o apoio necessário.

Estado atual das florestas tropicais:

Estado atual: Restam 1,5 milhão de hectares da floresta tropical: 50% perdeu-se no século passado.
Principais ameaças: agricultura, abete de árvores, indústria de construção.
Proteção legal: 4% estão protegidas mundialmente. Proibições ao comércio de certas espécies raras.
Iniciativas de conservação: Ações internacionais levadas a cabo pelo Programa de Conservação da Floresta da IUCN, pelo Programa Ambiental das Nações Unidadas (UNEP), WWF e outras iniciativas locais.

Animais que vivem nas Florestas Tropicais:
- Mamíferos típicos de florestas tropicais: mico-leão-dourado, orangotango, macaco-aranha, onça-pintada, capivara, lontra, porco do mato, paca, tamanduá-bandeira.

- Insetos típicos de florestas tropicais: gafanhoto, borboleta, mosca-dragão, besouros, grilo.

- Pássaros típicos de florestas tropicais: papagaio, cegonha, arara, pica-pau, tucano, pombo, pavão, mutum-preto, garça.

 

Postado em: Meio Ambiente, Natureza



Resposta