Sobre nós

Levar desenvolvimento e qualidade de vida para as famílias sem comprometer o planeta. É assim que todos devemos nos comportar através da educação ambiental ao desenvolvimento de novas tecnologias produtivas, tendo o meio ambiente como prioridade. O aproveitamento das fontes renováveis de energia e soluções de eficiência energética ganham destaque nas iniciativas das empresas. Onde permitem elevar a qualidade de vida de famílias e incrementar atividades econômicas, no entanto, sem agredir a natureza. Projetos assim evitam a adoção de medidas com alto impacto ambiental. saiba mais »
Loja Redmax

Redes Sociais

RSS Feed Twitter Facebook Delicious

Cadastre seu e-mail

Pararu-espelho, um pombo diferente!

Postado por Defensor da Natureza em 11 de abril de 2014 recebeu: 0 Comentários »

Olá Defensores da Natureza, vamos falar hoje de uma ave que se parece muito com os pombos que encontramos em nossa cidade, mas essa espécie de pombo está ameaçada de extinção e é cada vez mais raro encontrá-la, ela se chama Pararu-espelho.

A Pararu-espelho mede aproximadamente 24 cm de comprimento e pesa entre 200 e 250 gramas.
Para encontrá-la é preciso ir em florestas densas e taquarais, ás vezes estão em campos abertos, à procura de sementes de gramíneas após as queimadas, estão presentes da Bahia à Santa Catarina, no Brasil, a Argentina (Misiones) e Paraguai. Pode ser encontrada em regiões montanhosas de até 2.300 metros de altitude.
Elas gostam muito de comer Taquaras, sementes e frutos carnosos como o mamão.

Uma característica interessante da Pararu é sua relação com as sementes de taquaruçu, taquara e taquaris. O reaparecimento desta espécie, em algumas regiões, seja natural ou antropizada, se deve ao ciclo destas gramíneas, que ao produzirem suas sementes, contribuem para manutenção da dieta destas aves.

Existem hoje no Brasil, aproximadamente 200 Unidades de Conservação (UCs) no bioma de Mata Atlântica. Com esta numerosa quantidade de unidades, o sentimento de segurança torna-se influente a primeiro momento. Porém, a realidade muitas vezes, fica longe do esperado. Faltam remunerações dignas, guardas, veículos, meios adequados de comunicação, segurança e muitos outros recursos essenciais para tal tarefa. A ausência disso implica, na invasão para caça e coleta predatória de plantas e animais.

Pararu-espelho fêmea

 

Postado em: Animais Silvestres



Resposta