Sobre nós

Levar desenvolvimento e qualidade de vida para as famílias sem comprometer o planeta. É assim que todos devemos nos comportar através da educação ambiental ao desenvolvimento de novas tecnologias produtivas, tendo o meio ambiente como prioridade. O aproveitamento das fontes renováveis de energia e soluções de eficiência energética ganham destaque nas iniciativas das empresas. Onde permitem elevar a qualidade de vida de famílias e incrementar atividades econômicas, no entanto, sem agredir a natureza. Projetos assim evitam a adoção de medidas com alto impacto ambiental. saiba mais »
Loja Redmax

Redes Sociais

RSS Feed Twitter Facebook Delicious

Cadastre seu e-mail

Dicas importantes para você preservar o Meio Ambi...

24 de agosto de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

Afinal defensores, o que é Meio Ambiente?

Meio ambiente é o conjunto de condições e influências naturais que cercam um ser vivo ou uma comunidade, e que agem sobre ele(s). Assim, o meio ambiente envolve não somente plantas, animais e paisagens; mas todos os seres vivos e os ambientes em que eles vivem.

Fazemos parte desse ambiente, por isso é nosso dever conservar e preservar bem o nosso planeta. Mas afinal, qual a diferença entre conservar e preservar?

Preservar significa deixar um local intocável, sem muitas alterações.

Conservar significa utilizar o que temos, mas de forma racional, dando tempo para a natureza se recompor.

Vamos passar dicas importantes de como te ajudar a cuidar do Meio Ambiente:

  • Não deixe que seus pais cortem e nem podem as árvore sem autorização.
  • Preserve a vegetação nativa. Não desmate! Não coloque fogo!
  • Não altere cursos d’água ou banhados, eles são protegidos por lei. Poços artesianos somente com autorização.
  • Não crie peixes sem licença. Nunca solte peixes nos rios, mesmo quando estiver bem intencionado.
  • Respeite os períodos de proibição da pesca.
  • Não compre, nem tenha animais silvestre em casa.
  • Não maltrate animais silvestres ou domésticos.
  • Separe o lixo em casa e na escola, e coloque na rua no dia da coleta seletiva em seu bairro.
  • Não jogue lixo no chão. Carregue-o até a lixeira mais próxima.
  • Recicle ou reaprove tudo o que puder.
  • Reduza o consumo, especialmente do que não puder ser reaproveitando ou reciclado.
  • Ande mais de bicicleta.
  • Não contribua com a poluição sonora e/ou visual.
  • Não desperdice água. esse é um dos recusros mais importantes e frágeis do planeta: feche torneiras, conserte vazamentos, não use mangueiras para para lavar calçadas, aproveite água de chuva.
  • Não desperdice energia elétrica: desligue aparelhos, verifique sobrecargas, apague as luzes.
  • Evite jogar materiais não degradáveis (plásticos ou outros) no ambiente.

Vamos fazer a nossa parte!!!!

 

Conhecendo mais sobre o animal mais alto do mundo ...

17 de agosto de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

Tanto em safáris quanto nos zoológicos um dos animais mais queridos e admirados pelos visitantes são as girafas. Esses bichos encantam, principalmente, pelo seu tamanho, mas a sua beleza também é um ponto forte.

O seu habitat natural é a  a região central e a região sul do continente africano.
As girafas adultas (machos) podem atingir a altura de 6 metros. Seu pescoço comprido favorece seus hábitos alimentares, pois as girafas se alimentam basicamente de folhas de árvores. O peso de uma girafa macho pode chegar a 1400 kg e, apesar disso, em situações de perigo, pode desenvolver velocidade superior aos 50 km/h e sua estimativa de vida gira na faixa de 15 a 20 anos.

Curiosidades sobre as girafas:

  • Assim como impressões digitais humanas e as listras da zebra, o padrão de pelagem de uma girafa é exclusivo para cada animal;
  • As girafas são animais silenciosos e não emitem nenhum barulho característico que o ouvido humano possa captar. Isso ocorre porque as girafas se comunicam usando ruídos que são muito baixos para nós ouvirmos;
  • Apesar de não parecer, esses animais são muito rápidos graças as suas longas pernas. Elas podem correr em uma velocidade de até 56 km/h em tiros curtos;
  • O coração de uma girafa pesa 60kg;
  • Os principais predadores das girafas adultas são os leões e leopardos. Já os filhotes de girafas são presas fáceis de leões, leopardos, hienas, crocodilos e cachorros-selvagens.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre nossa amiga girafa que tal fazer uma visita para ela quando for passear no zoológico de sua cidade?

Meu bichinho de estimação é um peixe Betta e ag...

10 de agosto de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

Muitas pessoas têm animais de estimação como gato e cachorro, por isso facilmente encontramos informações sobre os cuidados que precisamos ter, mas e quando o bichinho de estimação é um peixe? O que devemos fazer para cuidar bem de nosso mascote?

Hoje vamos falar sobre um dos peixes que as pessoas mais gostam de cuidar, o peixe Betta.

O peixe Betta é resultado de uma combinação genética promovida pelo homem, e lembra só vagamente seu peixe de origem. Você já percebeu que o Betta está sempre desacompanhado em seu aquário? Pois é, ele é um peixe extremamente agressivo e que gosta de briga, tendo que ser deixado sozinho para não se meter em confusão com outros peixes.

Ele não é exigente quanto ao aquário, pode ser um pequeno sem equipamentos ou enfeites. E o mesmo não pode deixar exposto diretamente no sol, nem no frio excessivo, sob a chuva, locais engordurados ou com cheiro forte. Lugares tranquilos e iluminados são ideais.

A raça deste peixe não se alimento em grandes quantidades, jogue de 1 a 3 floquinhos de comida de 1 ou 2 vezes ao dia, não mais do que isso.

Lembre-se sempre de manter o aquário sempre bem limpinho, para isso troque a água da beteira uma vez por semana  ou a cada 10 dias no máximo.

Para limpar,você deve tirar metade da água do aquário e colocar em uma vasilha. Pegue o peixe com uma redinha apropriada e coloque nesse recipiente.

Atenção aos sinais:

Às vezes seu peixe Betta acaba não se sentindo muito bem, por isso devemos ficar atentos aos sintomas para socorre-lo imediatamente. Um dos sinais que o seu peixe Betta não está bem são;

Pintas brancas, manchas, aspecto opaco, perda de coloração em algumas partes ou descamação podem ser sinais de alguma doença.

Se seu Betta ficar doente, trate-o com a medicação adequada, seja um antibiótico, antifúngico ou um antiparasitas. Você pode comprar esses remédios na loja de aquarismo local, mas a maioria precisará ser encomendada, então esteja sempre preparado!

Fique sempre atento ao seu Betta!

Brincar ajudando a natureza: Brinquedos recicláve...

24 de julho de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

Olá Defensores da Natureza! Hoje vamos aprender a como fazer dois brinquedos super legais com materiais recicláveis, é isso mesmo, você ajuda a natureza e se diverte!
Lembrando que é importante contar com a ajuda de seus pais para montar os brinquedos ;)

Cai não cai

Materiais:

- 1 garrafa PET;

- Palitos de churrasco;

- Bolinhas de gude;

- Fita adesiva colorida;

- Tesoura.

Como montar passo a passo:

Faça furinhos (peça ajuda para um adulto) espalhados na garrafa utilizando um prego. Coloque os palitos de churrasco nos furos (tire as pontinhas dos  palitos) atravessando a garrafa. Faça uma abertura na parte de baixo para retirar as bolinhas que caírem. Encha a parte de cima da garrafa com as bolinhas de gude e pronto. Agora é só se divertir.

Jogo da velha e caixa-sacolas

A brincadeira vai ficar muito mais divertida com este jogo personalizado, que pode ser levado pra lá e pra cá dentro de uma bolsinha. As peças são joaninhas e flores desenhadas sobre círculos de EVA e aplicadas em tampinhas (caso você queira outro desenho também pode fazer). O tabuleiro nasce de um retalho de feltro pintado com tinta relevo. A caixa-sacola é montada a partir da base da garrafa PET. Vai ficar show!

Materiais:
- 1 garrafa PET
- Espaguete transparente (3 mm) de 15 cm
- Caneta de tinta permanente
- Tinta relevo nas cores: preto, vermelho, amarelo e laranja
- Tesoura
- Estilete (peça ajuda para um adulto)
- EVA nas cores vermelho e verde
- Feltro amarelo
- Fio preto encerado
- 5 tampinhas vermelhas
- 5 tampinhas verdes
- Cola para EVA

Como montar passo a passo:

Caixa-sacola: Com o estilete, corte a garrafa na horizontal 2 cm abaixo do rótulo. Com uma tesoura, faça picotes na vertical, nos gomos da garrafa (um sim, um não). O resultado serão cinco pétalas. Com a tesoura, arredonde a ponta das pétalas. Faça pontinhos com a tinta relevo, contornando todas as pétalas. A parte solta dos gomos decore com pintinhas feitas com a tinta relevo. Para produzir a alça, faça dois furos, fixe o espaguete e dê um nó por dentro. Na base da alça, amarre fitas de cetim formando um laço. Personalize a caixa-sacola colando uma flor e uma joaninha e escreva o nome do jogo com tinta relevo preta.

Peças do jogo: Corte 10 círculos de EVA branco com o mesmo diâmetro das tampinhas. Com o EVA vermelho, corte 5 círculos (com o mesmo diâmetro das tampinhas) e, com a caneta de tinta permanente, desenhe uma joaninha. Para fazer as antenas, corte 3 cm de fio preto encerado e com a cola própria cole-as entre o EVA e a superfície das tampinhas vermelhas. Com o EVA verde, corte 5 círculos (com o mesmo diâmetro das tampinhas) e com a caneta de tinta permanente, desenhe uma flor. Utilizando as tintas relevo, pinte as pétalas de vermelho e o miolo de amarelo. Com a cola, fixe as flores sobre as tampinhas verdes.

Tabuleiro: Corte o feltro formando um quadrado de 15 x 15 cm. Desenhe os nove quadrados de 5 x 5 cm com tinta relevo vermelha, fazendo pontinhos.

 

Fonte: Rede M

Montando um cofrinho com materiais recicláveis

13 de julho de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

Que tal chamar o papai e a mamãe para fazer algo super legal e criativo?
Vamos ensinar a como montar um cofrinho com materiais recicláveis. É super fácil, por isso, mãos à obra!

Materiais:

• Lata de achocolatado limpa;

• Tinta guache na cor preferida;

• Cola branca;

• Copo descartável, ou bandeja para mistura da tinta;

• Pincel de cerdas macias;

• Tesoura.

Como montar:

Faça um furo com a tesoura  no centro da tampa e depois abra o furo em uma largura ideal para colocar as moedas.

Para a pintura do porta moedas despeje dois terços de tinta no copo e um terço de cola branca, uma dica é usar mais de uma cor porque quanto mais cores misturar, mais criativo irá ficar.

Depois que secar pode deixar a imaginação fluir para colorir e desenhar o que quiser.

Uma outra dica legal é personalizar o cofrinho com imagens de revistas na lateral da latinha.

 

Veja quantos cofrinhos legais

 

Fonte: Artesanato e reciclagem

Quem são os animais herbívoros, carnívoros e on...

6 de julho de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 4 Comentários »

No reino animal existem vários tipos de classificações das espécies e uma delas é baseada na alimentação dos animais, as quais vamos conhecer hoje: Herbívoros, carnívoros e onívoros.

O que são animais herbívoros?

Animais herbívoros são aqueles que consomem plantas vivas ou parte delas.

Exemplos de herbívoros:

abelhas, borboletas, zebras, bois, antílopes, ovelhas, rinocerontes, girafas, elefante

 

O que são animais carnívoros?

Os animais carnívoros são aqueles que se alimentam predominantemente da carne de outros animais.

Alguns exemplos de animais carnívoros são: lobo, raposa, foca,hiena, falcão, tubarão, lince, crocodilo, quati

O que são animais onívoros?

Animais Onívoros são aqueles que se alimentam de fonte vegetal e animal, ou seja, um onívoro apresenta uma dieta bem variada.

Alguns exemplos de animais onívoros são: Urso, morcego, lobo-guará, suricata, jabuti, girino, porco, porco-espinho, sagui, quati, gambá, chimpanzé, corvo, gaivota, ema, avestruz.

Conhecendo os Ovíparos: os animais que nascem do ...

29 de junho de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

Existem vários tipos de animais, um deles são os ovíparos, nessa classificação entram animais cuja forma de desenvolvimento embrionário ocorre dentro de um ovo.

Existem dois tipos de fecundação, a interna e a externa:

A maioria das espécies de animais ovíparos possuem fecundação interna, ou seja, as fêmeas botam os ovos já fecundados pelos machos, como exemplo podemos citar todas as espécies de aves e crocodilianos e algumas espécies de peixes, lagartos e cobras.

Por outro lado, na fecundação externa, a fêmea deposita os ovos no ambiente e o macho libera os espermatozoides em cima dos ovos; é o caso de animais como as rãs e algumas espécies de peixes.

Em espécies aquáticas é comum a fecundação externa, mas o inconveniente deste tipo reprodução é que os ovos ficam à mercê de predadores, ocorrendo, por conta disso, uma mortalidade bastante elevada.

Contudo, existem estratégias distintas: algumas espécies, como, por exemplo, o bacalhau, bota grande quantidade de ovos, abandonando-os a própria sorte; já outras, como as tartarugas, depositam seus ovos em regiões mais protegidas, para que não sejam encontrados por predadores.

A grande maioria das aves, assim com algumas espécies de peixes e de répteis, costumam depositar seus ovos em ninhos e vigiá-los durante todo seu desenvolvimento. Quanto maior for o amparo de seus progenitores, menor é o número de ovos que a fêmea deposita.

Exemplos de espécies de animais ovíparos:

- Todas as aves

- Serpentes e cobras

- Maioria dos peixes

- Tartaruga marinha

- Diversas espécies de insetos

Pinguim-de-Magalhães, o visitante migratório do ...

15 de junho de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

Ele está sempre em lugares bem frios, adora um peixinho e são ótimos nadadores. Adivinhe de quem estamos falando?!

Ele é o Pinguim-de-Magalhães.

 

Seu nome científico é Spheniscus magellanicus, seu tamanho é de 65 a 75 centímetros de comprimento, e pesa de 4,5 a 6 kilos

Esta espécie de pinguim mora nas Ilhas Malvinas, Argentina, Chile e realizando movimentos migratórios em determinadas épocas para o Brasil. Eles gostam de se alimentar de peixes, lulas, krill e outros crustáceos.

Os Pinguins-de-Magalhães formam casais monogâmicos e a fêmea põe dois ovos brancos que levam entre 39 a 42 dias a incubar. O casal se reveza para alimentar os filhotes.

Alguns pinguins, provavelmente jovens não possuem sentido de orientação bem definido, quando entram no mar em busca de alimento, perdem-se com facilidade, acabam pegando carona com uma corrente de água fria chamada corrente de Falkland, ela se desloca do sul para o norte, e alguns destes jovens podem parar até na Bahia. Os pinguins possuem uma camada de óleo nas penas, que as torna impermeáveis. O calor pode derreter esta oleosidade, isto dificulta sua natação, e que consiga se proteger do frio, esta é umas das causas que acaba matando os pinguins.

Nadam com velocidade para fugir de seus predadores mais habituais (tubarões, pinípedes, orcas, entre outros), podendo atingir 36 a 40 km/h, nadando até 170 km em um único dia (Pütz et al 2007). Utilizam suas patas e membranas interdigitais como leme, sendo o primeiro dedo dirigido parcialmente para frente, integrando a membrana natatória (Sick 1997).

Os Pinguins-de-Magalhães são classificados pela União Internacional de Conservação da Natureza como uma espécie quase ameaçada de extinção (IUNC, 2010). Com o propósito de evitar o agravamento da situação de ameaça desta espécie, iniciou-se em 2010 a elaboração conjunta de um Projeto Nacional de Monitoramento da espécie, buscando sua construção e implementação coletiva. Este processo envolveu atores da sociedade e do governo brasileiro.

O intuito do Projeto é ampliar o conhecimento sobre o Pinguim-de-Magalhães no Brasil e otimizar os esforços de pesquisa, reabilitação e monitoramento, possibilitando a contribuição e integração de iniciativas em prol da conservação.

Tratando-se de uma espécie migratória, estas iniciativas devem ser consideradas em conjunto com outros países da América do Sul, que detém as colônias reprodutivas.

 

O que há nas profundezas do oceano?

8 de junho de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

O dia dos Oceanos se comemora no dia 8 de junho, por isso chegou a hora de conhecermos mais sobre esse ecossistema incrível que se encontra em baixo das águas.

Plantas marinhas: Algas

Assim como nas florestas, no mar também há uma enorme diversidade de plantas, as algas marinhas por exemplo, são elementos importantes dos ecossistemas marinhos, contribuindo para elevar a biodiversidade destes. São plantas fotossintéticas que consomem dióxido de carbono e produzem oxigênio, estão na base da cadeia alimentar servindo de alimento a peixes, moluscos, esponjas, etc.

A grande maioria das algas marinhas ocorre à fixação às rochas, contudo podem crescer associadas a outras plantas ou substratos. Muitas vezes formam associações entre si, protegendo o litoral, ao atuarem como “quebra-ondas”.

As algas podem ter formas variadas: foliáceas, arborescentes, filamentosas, ramificadas. Apesar de existirem em pouca quantidade, por exemplo, no Arquipélago da Madeira estão identificadas aproximadamente 359 espécies de algas. A grande maioria destas espécies (cerca de 64%), pertencem ao tipo das algas vermelhas. As restantes pertencem ao tipo de algas verdes.

 

Uma grande biodiversidade nas profundezas

Graças a tecnologias mais sofisticadas, pesquisas da macrofauna demonstraram que o oceano profundo é muito mais diverso biologicamente do que se imaginava. Em uma única amostra, uma equipe de cientistas encontrou 365 espécies diferentes. Na década de 1990, foi estimado que 10 milhões de pequenos invertebrados — o dobro do encontrado em florestas tropicais — habitavam o fundo do mar.
Somente no fim do século 21, o oceano profundo foi reconhecido como o maior ambiente da Terra, contendo numerosos sub-habitats, com características únicas e uma alta biodiversidade. “Ainda assim, o fundo do mar continua mais do que remoto na consciência pública”, comenta Odd Aksel Bergstad, pesquisador do Instituto de Pesquisas Marinhas da Noruega e coautor do artigo publicado no PloS One.

 

Curiosidades sobre a biodiversidade dos oceanos

  • As águas da Austrália e do Japão são as que apresentam maior biodiversidade, com 33 mil espécies;
  • Mesmo as regiões menos diversas, como o Mar Báltico e o nordeste dos Estados Unidos, ainda têm 4 mil espécies desconhecidas;
  • Os crustáceos representam entre 22% e 35% das espécies marinhas do Brasil, do Alasca, da Antártica, da Califórnia, do Caribe e da Corrente de Humboldt, mas são apenas 10% da biodiversidade do Mar Báltico;
  • Os moluscos representam 26% das espécies da Austrália e do Japão, mas apenas entre 5% e 7% das espécies do Mar Báltico, da Califórnia, do Ártico e o leste e oeste canadense;
  • Plantas e algas são um terço de todas as espécies do Mar Báltico, do Ártico, da Europa e do Canadá. São escassas, contudo, na Antártica, no Caribe, na China, na Corrente de Humboldt, no Pacífico tropical e no Atlântico tropical;
  • Espécies endêmicas compreendem metade das espécies marinhas da Nova Zelândia e da Antártica, e um quarto das encontradas na Austrália e na África do Sul. As águas do Caribe, da China, do Japão e do Mediterrâneo têm menos de 2 mil espécies, e o Mar Báltico possui apenas um tipo de alga marinha;
  • O local onde há mais espécies invasivas é o Mediterrâneo, com 600 espécies que não são típicas daquele ambiente;
  • O percentual de espécies ainda não descritas é estimado entre 39% e 58% na Antártica, 38% na África do Sul, 70% no Japão, 75% no Mediterrâneo e mais de 80% na Austrália.

Dia do meio ambiente: devemos mesmo comemorar?

21 de maio de 2015 por Defensor da Natureza recebeu 0 Comentários »

Em 1972 houve uma grande conferência mundial sobre meio ambiente os temas “verdes” entraram na agenda política e na consciência do consumidor. Mas infelizmente poucos problemas foram resolvidos e alguns se agravam rapidamente.

No dia 05 de junho é comemorado o dia do Meio ambiente, mas não temos muito que comemorar, mas sim se conscientizar e cada vez mais encontrar meios de colaborar com o meio ambiente.

Veja abaixo os principais problemas ambientais atuais:

  • Poluição
  • Desmatamento
  • Queimadas
  • Aquecimento global

- Poluição do ar por gases poluentes gerados, principalmente, pela queima de combustíveis fósseis (carvão mineral, gasolina e diesel) e indústrias;

- Poluição de rios, lagos, mares e oceanos provocada por despejos de esgotos e lixo, acidentes ambientais (vazamento de petróleo), etc;

- Poluição do solo provocada por contaminação (agrotóxicos, fertilizantes e produtos químicos) e descarte incorreto de lixo;

- Queimadas em matas e florestas como forma de ampliar áreas para pasto ou agricultura;

- Desmatamento com o corte ilegal de árvores para comercialização de madeira;

- Esgotamento do solo (perda da fertilidade para a agricultura), provocado pelo uso incorreto;

- Diminuição e extinção de espécies animais, provocados pela caça predatória e destruição de ecossistemas;

- Falta de água para o consumo humano, causado pelo uso irracional (desperdício), contaminação e poluição dos recursos hídricos;

- Acidentes nucleares que causam contaminação do solo por centenas de anos. Podemos citar como exemplos os acidentes nucleares de Chernobyl (1986) e na Usina Nuclear de Fukushima no Japão (2011);

- Aquecimento Global, causado pela grande quantidade de emissão de gases do efeito estufa;

- Diminuição da Camada de Ozônio, provocada pela emissão de determinados gases (CFC, por exemplo) no meio ambiente.

Os problemas são muitos, mas a solução vem em atitudes simples do nosso dia a dia, veja só:

 

  • Não deixe seus pais cortarem ou podarem árvores sem a autorização da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente da sua cidade. A poda drástica é proibida!
  • Mesmo com boas intenções, nunca solte peixes no rio.
  • Recicle e reaproveite tudo aquilo que for possível.
  • Ande mais a pé e de bicicleta.
  • Não desperdice água. Feche torneiras, cheque se não há vazamentos na casa e “não confunda mangueira com vassoura”.
  • Reduza o consumo de energia elétrica. Ao sair de um cômodo, sempre apague as luzes.
  • Ame e a respeite a natureza.
  • Cheque se o seu bairro possui coleta seletiva. Separe o material e só coloque na rua no dia da coleta.
  • Não maltrate animais domésticos ou silvestres.
  • Nunca jogue lixo no chão! Caso não encontre uma lixeira próxima, guarde-o com você até encontrar o local adequado para descartá-lo.