Sobre nós

Levar desenvolvimento e qualidade de vida para as famílias sem comprometer o planeta. É assim que todos devemos nos comportar através da educação ambiental ao desenvolvimento de novas tecnologias produtivas, tendo o meio ambiente como prioridade. O aproveitamento das fontes renováveis de energia e soluções de eficiência energética ganham destaque nas iniciativas das empresas. Onde permitem elevar a qualidade de vida de famílias e incrementar atividades econômicas, no entanto, sem agredir a natureza. Projetos assim evitam a adoção de medidas com alto impacto ambiental. saiba mais »
Loja Redmax

Redes Sociais

RSS Feed Twitter Facebook Delicious

Cadastre seu e-mail

O Papel

Postado por Defensor da Natureza em 1 de julho de 2011 recebeu: 0 Comentários »

O processo industrial de produção do papel é feito a partir das fibras vegetais de árvores. Para a produção em larga escala, são utilizadas árvores de reflorestamento, que são plantadas especialmente para serem cortadas e transformadas em pasta de celulose. Para isso as indústrias de papel plantam enormes áreas de eucaliptos, um tipo de árvore que cresce muito rápido e que tem fibras curtas.

Para produzir uma tonelada de papel utilizam-se aproximadamente 20 árvores. Este tipo de monocultura acaba trazendo problemas ambientais nas regiões onde são implantadas, reduzindo cada vez mais a qualidade do solo. Além disso, a indústria do papel é muito poluente, pois utiliza grande quantidade de produtos químicos principalmente para o clareamento da massa, o que contamina a água utilizada nos processos de lavagem.

A reciclagem é um dos pontos fortes para amenizar estes efeitos da indústria.

Que tal aprender a fazer um papel reciclável?

Material:

  • Um liquidificador;
  • Um varal;
  • Pregadores;
  • Uma bacia (com pelo menos 15 cm de profundidade);
  • Uma esponja;
  • Uma peneira plana;
  • Pano de prato;
  • Pilha de jornais;
  • Para reciclar você pode utilizar papel de computador, jornal, papel de embrulho, saco de pão, caixa de ovos, mas evite qualquer papel que tenha superfície brilhante.

Procedimento:

  • Rasgue o papel a ser reciclado em pequenos pedaços e deixe-os de molho de um dia para o outro;
  • Bata o papel que ficou de molho. Coloque uma pequena quantidade de papel para cada meio litro de água. Bata até as fibras ficarem bem trituradas;
  • Meça a massa de papel triturado e coloque-a na bacia com o dobro da água. Mexa bem e mergulhe a peneira;
  • Chacoalhe a peneira devagar, espalhando a massa por igual. Deixe o excesso de água escorrer da peneira em cima da bacia;
  • Inverta a peneira com a massa de papel em cima do pano de prato, que pr sua vez está em cima de uma pilha de jornais. Prense com cuidado a esponja sobre a massa de papel, absorvendo toda a água possível;
  • Levante a peneira pelas bordas. A massa de papel ficará aderida ao pano. Dobre o pano sobre a massa, embrulhando bem, e pendure-o num varal. O tempo de secagem pode variar de acordo com a umidade do dia (no mínimo 12 horas;
  • Retire do varal o papel embrulhado no pano de prato. Estenda sobre a mesa e descole com cuidado o papel seco do pano de prato;
  • Depois de pronto e seco o papel pode ser cortado, decorado ou utilizado para fazer cadernos, blocos e cartões.

VOCÊ SABIA?

38,1% do papel que circulou no País em 2007 retornou à produção através da reciclagem. Esse índice corresponde à aproximadamente 817 mil toneladas de papel de escritório. Papel de escritório é o nome genérico dado a uma variedade de produtos usados em escritórios, incluindo papéis de carta, blocos de anotações, copiadoras, impressoras, revistas e folhetos. A qualidade é medida pelas características de suas fibras. Papéis de carta e de copiadoras são normalmente brancos, mas podem ter várias cores. A maioria dos papéis de escritório é fabricada a partir de processos químicos que tratam a polpa da celulose, retirada das árvores. Entretanto, papel jornal é feito com menos celulose e mais fibras de madeira, obtidas na primeira etapa da fabricação do papel, e por isso é de menor qualidade.

Em 2007, no Brasil, o consumo per capita brasileiro de papel de escritório foi um dos mais baixos do mundo, registrando apenas 44 quilos por habitante ao longo de um ano; enquanto nos Estados Unidos o mesmo índice foi de 288 quilos por habitante ao longo de um ano.

Fonte de pesquisa:
http://www.cienciamao.usp.br/tudo/exibir.php?midia=lcn&cod=_produzindopapelreciclado

Postado em: Curiosidades



Resposta